Benchmarks de PC: como funcionam e o que procurar

Quando chegar a hora de comprar um novo PC, atualizar sua placa gráfica ou trocar seu armazenamento, você verá uma palavra repetidamente: benchmarks. Mas quão representativos são os benchmarks de desempenho no mundo real?

O que é um benchmark?

Um benchmark é um teste ou uma série de testes projetados para aumentar o desempenho do seu sistema ou componente para ver do que ele é capaz. Para placas gráficas, isso geralmente significa uma cena com gráficos pesados ​​de um videogame ou uma que pode estar em um videogame. Este último é chamado de benchmark sintético, e há muitas opções, como Unigine Heaven, Marca 3D, e Senha.

Para CPUs, os benchmarks são sobre a carga de trabalho e a rapidez com que podem executar as instruções. Como há tantas operações que um PC pode realizar, você descobrirá que CPUs diferentes têm um desempenho melhor em uma tarefa do que em outras. Alguns podem ser melhores na execução de software de produtividade, enquanto outros se destacam na renderização 3D e assim por diante.

Existem conjuntos de benchmark padrão para testar CPUs, como PC Mark 10, que executa seu computador por meio de uma série de testes. Por exemplo, ele testa como seu sistema lida com o trabalho com planilhas, além de tarefas como edição de fotos, chamadas de vídeo, cálculos de física para jogos e navegação na web. Outra ferramenta popular para ver como uma CPU lida com a renderização de vídeo é CineBench.

Os benchmarks de CPU também podem envolver tarefas específicas do mundo real, como compactar uma pasta grande em um arquivo ZIP ou carregar um aplicativo com um arquivo grande.

Por fim, para testar SSDs e discos rígidos, tudo se resume à rapidez com que uma unidade pode ler e gravar (salvar) dados na unidade. Isso geralmente é realizado com um programa de referência que realiza testes de leitura e gravação sequenciais e aleatórios.

Sequencial significa que um grande bloco de dados é lido ou gravado de locais contíguos no disco, enquanto aleatório é o oposto. Há também testes de arquivos grandes (cerca de 50 GB) durante os quais o cache interno da unidade está sobrecarregado (ficar sem cache tende a diminuir a velocidade da unidade).

Contexto é tudo

Ao examinar benchmarks, você deve manter o contexto em mente. Isso inclui o desempenho de uma CPU ou placa gráfica em comparação com outra, quais testes foram realizados e sob quais condições.

Problemas comuns, como a quantidade de RAM de um sistema, o tipo de resfriamento que ele usa para a CPU e a GPU, ou quão bem um gabinete absorve ar frio e expele quente, podem afetar o desempenho. O calor é um grande problema para os PCs, pois os componentes reduzem o desempenho à medida que ficam mais quentes como um mecanismo de sobrevivência.

Isto é uma coisa boa! Você não gostaria de componentes que acionam sozinhos até que literalmente derretam ou danifiquem peças internas sensíveis.

Falando em calor, até a própria sala de testes pode ter impacto no desempenho. Um PC para jogos funciona melhor em uma sala que fica em torno de 72 graus Fahrenheit no verão. É muito mais difícil manter um PC frio em uma sala quente.

Essas são as questões básicas a serem consideradas para hardware. No entanto, cada benchmark precisa de um contexto comparativo para entender os resultados.

Benchmarks de placas gráficas

Placa de vídeo Radeon RX 5700 XT da AMD.

Geralmente, os jogadores procuram placas gráficas que possam atingir 60 quadros por segundo. Esta é a “zona dourada”, na qual os jogos funcionam sem problemas e os gráficos realmente parecem bons. Qualquer coisa abaixo disso, e você se deparará com gagueira, movimento de personagem nervoso e renderização de baixa resolução.

Há duas considerações amplas a serem consideradas quando se trata de desempenho da placa gráfica: resolução e configurações. Uma placa gráfica pode não ter um bom desempenho em resolução 4K, mas pode ser um monstro absoluto em 1080p. É por isso que, ao analisar os benchmarks, é fundamental considerar a resolução.

Quando se trata de configurações gráficas, existem quatro predefinições automáticas gerais para videogames: Ultra, High, Medium e Low. Pode ficar muito mais complicado se você ajustar manualmente as configurações. No entanto, essas quatro categorias são como os jogos são definidos automaticamente com base nos recursos de um sistema. A maioria das avaliações usa a configuração Ultra para comparar, a menos que especificado de outra forma.

Uma placa gráfica ideal pode produzir cerca de 70 quadros por segundo ou mais em 4K com configurações Ultra em jogos AAA com muitos gráficos. No entanto, placas com esse tipo de desempenho geralmente são caras.

Qualquer pessoa que esteja procurando por cartões com orçamento limitado deve considerar desempenho versus preço. Isso irá variar, dependendo das preferências pessoais e orçamento.

Ao ler uma resenha, também importa quais jogos ou benchmarks sintéticos foram usados. Os benchmarks sintéticos podem ser úteis para comparar uma placa gráfica com outra porque o teste será consistente de um sistema para o outro. O problema é que os benchmarks sintéticos não fornecem necessariamente uma visão do mundo real dos videogames atuais, ou o que você pode esperar em condições reais de jogo.

Os benchmarks de videogame integrados também não são uma alternativa perfeita. Muitos (mas não todos) jogos fornecem seus próprios benchmarks. No entanto, alguns deles não são confiáveis ​​porque não são muito ativos, nem refletem a jogabilidade típica.

Outros benchmarks são melhores porque usam cenas que você provavelmente verá no jogo. Além de tentativa e erro, não há uma maneira real de saber quais benchmarks no jogo são ideais e quais não são.

Além disso, um único benchmark de jogo não é suficiente para entender o quão bom é um cartão. Você precisa de vários benchmarks para obter uma visão completa do tipo de desempenho que pode esperar.

Vejamos um exemplo do mundo real. Com base em análises recentes, a placa de vídeo Nvidia 2080Ti atinge 150-160 quadros por segundo no jogo Middle-earth: Shadow of War com resolução de 1080p na configuração gráfica Ultra. Isso indica que a 2080 Ti é uma excelente placa de vídeo com bom desempenho para esse tipo de jogo. Isso não significa que todos os jogos atingirão essas taxas de quadros.

Por exemplo, com base em alguns comentários, o 2080Ti não está passando de 90 FPS no Ghost Recon Wildlands mais intensivo com a mesma resolução e configuração gráfica.

Observar uma variedade de jogos e testes lhe dará uma visão mais geral do que você pode esperar de uma placa gráfica antes de colocá-la em seu sistema.

Benchmarks de CPUs e unidades de armazenamento

Os números de benchmark de CPU são importantes, mas fazem mais sentido quando comparados a outros CPUs. Ao contrário das placas gráficas, não existe uma “zona dourada” real para o desempenho da CPU.

As CPUs são cavalos de trabalho que precisam executar todos os tipos de operações, incluindo jogos, edição de fotos, processamento de grandes planilhas ou apenas o lançamento de grandes programas. Ao analisar os benchmarks de CPUs, você deseja compará-los com o que outras CPUs estão fazendo.

Se a CPU que você deseja usar para o trabalho não tiver um desempenho tão bom em aplicativos de produtividade, suas habilidades de jogo não importarão. Quando se trata de CPUs, compare-as com base no que você pretende fazer com seu PC.

O mesmo vale para unidades de armazenamento. Observe as velocidades de desempenho de leitura e gravação e compare-as com outras unidades medidas na mesma análise. Além disso, preste atenção aos testes de transferência de arquivos grandes, especialmente se você mover muitas fotos ou vídeos entre o armazenamento externo e o PC.

Por fim, lembre-se de que os benchmarks nas análises tendem a usar as configurações de estoque, não o overclock. Depois de iniciar o overclock de uma CPU ou GPU, você pode obter mais desempenho. No entanto, a melhoria varia com base em vários fatores, até a qualidade de construção individual do componente que você deseja fazer o overclock.

Se você tem uma CPU que funciona muito bem ao fazer overclock, por exemplo, é comum chamar isso de “ganhar na loteria do silício”. Isso ocorre porque desbloqueou o potencial que outra CPU com o mesmo número de modelo pode não ter.

Um guia útil

Os benchmarks podem ser um guia útil sobre o desempenho dos componentes do computador, mas o contexto é importante. Compare seus componentes e veja uma ampla variedade de testes bem projetados.

Se você sempre tiver em mente como planeja usar seu PC, poderá ter uma boa noção do que esperar quando colocar esse novo e precioso kit em sua configuração.