Como acessar a Dark Web e a Deep Web, de forma segura e anônima

Para os unificados, a dark e a deep web podem soar igualmente misteriosas e aterrorizantes – e isso é meio verdade, a menos que você saiba como navegar anonimamente por esses cantos da Internet. Hoje, compartilhamos dicas essenciais para se manter seguro na deep e dark web. Não se preocupe, é fácil começar – o primeiro passo é tão simples quanto instalar uma VPN.

A internet com a qual estamos familiarizados é apenas uma fração do que realmente existe. Logo abaixo da superfície está a deep web e a dark web, áreas que contêm inúmeros sites, mercados, blogs, sites sociais e muito mais difíceis de encontrar.

Para o acesso mais seguro à darknet e deep web, use estas VPNs:

NordVPN – Melhor VPN darknet – NordVPN oferece criptografia inquebrável, VPN dupla, ofuscação e tudo o que você precisa para permanecer anônimo na deep web.
Surfshark – Proteção contra vazamentos, servidores ofuscados e uma política de registro incrível.
IPVanish – A escolha clássica para segurança na deep web. Conexões rápidas.
VyprVPN – Novos protocolos de criptografia, além de rede própria para verdadeiro anonimato.

A quantidade impressionante de conteúdo passa despercebida pela maioria, mas com um pouco de esforço e muita consciência de privacidade, é fácil abrir a dark web para ver quais maravilhas ocultas esperam por dentro. Siga nosso guia abaixo para começar a navegar na deep e dark web de forma segura e anônima.

Garantia de devolução do dinheiro em 30 dias

O que são a Deep Web e a Dark Web?

Pense na internet como um oceano. A maioria das pessoas se contenta em surfar na superfície e pegar as grandes ondas que flutuam em seu caminho. Streaming de vídeos, verificação de e-mail, compras, navegação no Facebook e outras atividades online acontecem aqui, ao ar livre. Se você puder encontrá-lo por meio de um mecanismo de pesquisa como o Google ou o Bing, é parte da web de superfície.

Mergulhe abaixo das ondas e você alcança as águas turvas da deep web. O conteúdo na deep web não é indexado pelos mecanismos de pesquisa, tornando mais difícil ou mesmo impossível de encontrar por acaso. A maior parte desse conteúdo não é malicioso ou ilegal, no entanto. Coisas como páginas de associação protegidas por telas de login, servidores hospedados de forma privada ou sites internos da empresa fazem parte da deep web. Eles existem on-line, mas os mecanismos de pesquisa não podem encontrá-los, levando-os um passo abaixo da superfície para a deep web.

A dark web é onde as coisas fique interessante. Semelhante à deep web, o conteúdo da dark web é invisível para os mecanismos de pesquisa e não pode ser encontrado por meios tradicionais. A principal diferença é que os sites da dark web são intencionalmente difíceis de encontrar, permitindo que eles ocultem informações ou atuem como centros de atividades ilegais. Mercados negros, mercadorias falsificadas, traficantes de drogas e armas e uma série de outras coisas podem ser encontradas na dark web, mas somente se você souber exatamente onde procurar. A dark web é geralmente o que as pessoas pensam quando falam sobre a atividade clandestina da Internet. É apenas uma parte da deep web, mas gera muita controvérsia.

Segurança na Dark Web

A dark web tem vários usos práticos, nem todos incompletos. As pessoas que vivem sob governos que monitoram ou censuram fortemente o tráfego da Internet se beneficiam do acesso à dark web, pois permite ver notícias do resto do mundo ou até mesmo solicitar suprimentos que não podem obter em seu país. Denunciantes e jornalistas também usam a dark web para se comunicar sem revelar sua localização ou detalhes privados.

Não importa seu propósito, a dark web não é um lugar seguro. O anonimato tem suas desvantagens e, juntamente com a natureza não monitorada da dark web, é um paraíso para hackers que procuram roubar informações e tirar proveito de visitantes desavisados. Apenas acessando a dark web pode ser um ato suspeito, quanto mais baixar ou visualizar conteúdo ilegal. Se você planeja usar a dark web, precisa tomar todas as precauções para proteger sua identidade. Não existe isso de ser muito cuidadoso.

Usar a dark web não é tão simples quanto abrir um navegador e digitar um endereço. Antes de mergulhar, você precisará baixar e configurar vários softwares que ajudam a criptografar e anonimizar seus dados.

Use uma VPN para anonimato

Sempre use uma VPN ao acessar a dark web, sem exceção. As VPNs criptografam todo o tráfego da Internet que sai do seu computador, embaralhando os dados para que nenhum detalhe de identificação possa ser discernido. As VPNs também roteiam o tráfego por meio de servidores não locais para fornecer uma camada extra de anonimato. Se você não usa uma VPN na dark web, está transmitindo seu nome e localização para o mundo. É um risco que você nunca deve correr.

Nem todos os serviços VPN fornecem o mesmo nível de segurança, no entanto. Usamos os principais critérios abaixo para encontrar VPNs que oferecem um nível mais alto de privacidade para usuários curiosos sobre a dark web.

Recurso kill switch – Ter um kill switch instalado pode significar a diferença entre proteger sua identidade e divulgar suas informações. Com um kill switch instalado, o software do provedor desligará automaticamente todo o tráfego da Internet se você perder sua conexão com a VPN. Mesmo um lapso temporário pode fornecer muitas informações aos hackers, portanto, ter um kill switch é uma necessidade na dark web.
Política de registro – Bons provedores de VPN têm uma política de registro zero prática para garantir que os dados nunca sejam armazenados em seus servidores. Se os dados forem mantidos por qualquer período de tempo, mesmo que criptografados, existe o risco de serem roubados ou entregues a terceiros. Sem logs significa que não há dados, puros e simples.
Velocidade – As VPNs podem diminuir a velocidade de sua conexão com a Internet em até 10-25% devido à sobrecarga de criptografia e ao redirecionamento de tráfego. É uma desvantagem em grande parte inevitável, mas alguns provedores fazem esforços extras para minimizá-la o máximo possível. Os serviços VPN abaixo demonstraram algumas das velocidades de conexão mais rápidas do mercado.
Limitações de largura de banda – Uma prática comum para VPNs é limitar a velocidade ou a quantidade de dados que os usuários podem consumir em cada período de cobrança. Uma vez que isso seja alcançado, não há mais acesso à dark net. Todos os provedores abaixo apresentam planos ilimitados sem limites ou restrições.

VPNs mais seguras para se proteger na dark e deep web

1. NordVPN

O NordVPN possui um dos recursos de segurança mais exclusivos de qualquer provedor de VPN. Em vez de uma criptografia simples simples, todos os dados que passam pela rede da NordVPN são codificados duas vezes, criando uma criptografia SSL de 2.048 bits que mesmo um supercomputador não consegue decifrar. Uma fantástica política de registro zero, pagamentos em bitcoin e um kill switch automático para versões do software para Windows, Mac, iOS e Android tornam o NordVPN uma excelente opção para um companheiro seguro na dark web.

A NordVPN possui uma rede em constante crescimento de mais de 5.500 servidores em 58 países.

Leia nossa análise completa do NordVPN.

Prós
OFERTA ESPECIAL: plano de 2 anos (68% de desconto – link abaixo)
Amplo parque de servidores com mais de 5.400 servidores diferentes
Conecte até 6 dispositivos ao mesmo tempo
Proteção de dados “dupla”
Bate-papo ao vivo 24/7.

Contras
Alguns servidores podem ter velocidades d/l médias
Às vezes lento no processamento de reembolsos (mas sempre faz).

2. Surfshark

O Surfshark tem alguns itens de interesse para usuários da deep web em busca de privacidade. O primeiro e mais importante é a criptografia inquebrável, com AES-256-GCM para encobrir completamente sua conexão VPN. Em relação às conexões, há uma rede modesta, mas crescente, de mais de 800 servidores, distribuídos em todos os continentes, exceto na Antártida.

O que o Surfshark faz de forma diferente, ele faz generosamente. Por exemplo, em vez de limitar você a alguns servidores especializados, todos os servidores podem usar seu método de ofuscação de camuflagem. Além disso, eles nunca limitam o número de conexões simultâneas que você pode ter, permitindo que você proteja todos os seus dispositivos (mais amigos e familiares, se desejar).

Preocupado com vazamentos na darknet ou deep web? O Surfshark vem pré-instalado com medidas de proteção contra vazamentos de IP, DNS e até WebRTC. Além disso, há um kill switch; enquanto a infraestrutura de servidor somente RAM limpa regularmente os dados do usuário da VPN. Apoiado por uma garantia auditada de não registro, o Surfshark é o companheiro perfeito em suas jornadas na darknet.

Prós
Todos os servidores otimizados para desbloquear Netflix, BBC iPlayer, Hulu e muito mais
Cada servidor é um servidor especializado
Sem perguntas garantia de devolução do dinheiro
Com sede nas Ilhas Virgens Britânicas, onde não há leis de retenção de dados
Suporte ao cliente responsivo disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Contras
A rede em crescimento não tem a mesma cobertura que VPNs mais maduras
O status de novato no quarteirão pode não incutir a mesma confiança que os provedores maiores.

Leia nossa análise completa do Surfshark.

3. IPVAnish

O IPVanish fornece anonimato forte usando mais de 40.000 IPs compartilhados espalhados por 1.300 servidores em mais de 60 países. Essa grande rede facilita a troca de locais virtuais, além de ofuscar sua identidade, recursos úteis para verificar a dark web. O IPVanish também possui uma política estrita de registro zero, usa criptografia AES de 256 bits para todo o tráfego e possui um kill switch para clientes Windows e Mac.

Além de seus fortes recursos de segurança, o IPVanish oferece largura de banda ilimitada, torrent anônimo, tráfego P2P ilimitado e alguns dos servidores mais rápidos do mercado VPN.

Leia nossa análise completa do IPVanish.

4. VyprVPN

VyprVPN tem uma vantagem de segurança única sobre outros provedores de VPN. A empresa possui e opera toda a sua rede de 200.000 endereços IP espalhados por 700 servidores em 70 locais diferentes, o que significa que nenhum terceiro tem acesso aos seus computadores. Essa privacidade extra é respaldada por uma política de zero log junto com um kill switch configurável para versões do software para Windows e Mac.

O VyprVPN oferece uma avaliação gratuita de três dias para qualquer pessoa interessada em experimentá-lo sem se comprometer com um mês inteiro. Acesse o site do VyprVPN para saber mais e começar.

Leia nossa análise completa do VyprVPN.

Usando o navegador Tor

Depois de uma VPN, a segunda necessidade para acessar a dark web é a Navegador Tor. O Tor implanta sua própria rede para proteger suas informações, retransmitindo-as por vários locais e protegendo-as com criptografia AES de 128 bits. Em outras palavras, o Tor pega o endereço IP atribuído a você por um provedor de serviços local e o troca por um aleatório e anônimo de sua própria rede. Tor também é a única maneira que você pode acesse os links .onion, que é onde quase todo o conteúdo da deep web está oculto.

Navegador Tor: acesse links .onion com ele

Usar o Tor com uma VPN tem várias vantagens, mas configurar as coisas da maneira certa dá um pouco de trabalho.

O método mais simples é conectar-se à sua VPN, abrir o navegador Tor e usar a Internet normalmente. Isso envia o tráfego primeiro pelos servidores Tor e depois pela sua VPN para criptografia. A vantagem aqui é que você pode mascarar o uso do Tor do seu ISP, impedindo-os de rastrear a atividade de volta para você. A desvantagem é que você não está realmente aproveitando o poder de anonimização da rede Tor, tornando esta solução um pouco menos desejável do que a abaixo.

LEITURA RELACIONADA: Como usar o Tor com uma VPN (IPVanish)

Para tirar o máximo proveito do Tor e da sua VPN, você deve primeiro criptografar com uma VPN, enviar dados pelo Tor e depois descriptografar com a mesma VPN. Essa solução oferece um nível ainda maior de anonimato e segurança, mas requer tempo de configuração adicional para ser alcançado. Instalando o PORTAL firmware do roteador é a maneira mais fácil de fazer isso. PORTAL (que significa “Personal Onion Router To Assure Liberty”) automaticamente força seu tráfego de internet através da rede Tor, tudo o que você precisa fazer é atualizar seu roteador e o PORTAL cuida do resto. Uma alternativa é a Whonix sistema operacional que você pode executar de dentro do seu sistema operacional atual que realiza um feito semelhante ao PORTAL.

Como você está usando duas redes separadas para criptografar e anonimizar seu tráfego, o uso do Tor com uma VPN pode causar uma lentidão notável nas velocidades de conexão. Você também não poderá acessar sites que usam Flash ou Quicktime através do Tor, pois essas tecnologias são inseguras e bloqueadas por padrão. Além disso, algumas VPNs não permitem o tráfego do Tor, embora as recomendações acima sejam exceções notáveis. Navegar na dark web pode ser lento, mas se você for navegar, precisará fazê-lo com segurança.

LEITURA INTERESSANTE: Descasque a cebola: Reconhecimento de aplicativos Android por trás da Rede Tor (pdf)

Executando o sistema operacional Tails

Usar o Tor com uma VPN não é uma solução de segurança perfeita. Para levar sua privacidade um passo adiante, baixe e use o Tails OS. Esse sistema operacional leve foi projetado para manter a privacidade dos dados privados e não deixar vestígios de informações. Você usa, você vai embora, limpo e simples. Ele ainda implanta ferramentas criptográficas para criptografar seus e-mails e mensagens instantâneas.

Para instalar o Tails OS, você precisará de dois pendrives e um dispositivo de internet separado para ler as instruções enquanto a instalação ocorre. O site orienta você pelo processo passo a passo.

Use seu navegador para baixar Tails OS para seu sistema operacional.
Execute o instalador do Tails e siga as instruções na tela.
Reinicie o computador e inicialize diretamente no Tails OS.
Insira seus dados de Wi-Fi ou conexão para acessar a internet.
Abra o Tor (incluído no download do Tails OS) e navegue na dark web à vontade.

O que há na Dark Web?

A dark web tem uma infinidade de usos, desde comunicar em segredo até contornar leis de censura, obter mercadorias inalcançáveis ​​​​ou realizar vendas e negócios ilegais. Vale tudo em um mundo digital onde nada é regulamentado ou monitorado, mesmo o bobo e o mundano.

Mercados da darknet – A versão digital de uma transação de fundo de quintal, os mercados da darknet vendem de tudo, desde produtos falsificados a drogas, armas, explorações de software, números de cartão de crédito roubados e outros serviços ilegais. Alguns são peer to peer e funcionam completamente no sistema de honra, enquanto outros têm uma infraestrutura básica para garantir que o pagamento e os bens sejam trocados uniformemente. Todos carregam um risco de segurança maior do que fazer um pedido na Amazon.
Colheres de criptomoedas – As moedas digitais são favorecidas na dark web como um meio de transferir dinheiro anonimamente para uma variedade de transações. Em uma versão online de lavagem de dinheiro e contas bancárias offshore, os copos de criptomoedas misturam transações de moedas digitais contaminadas ou rastreáveis ​​com anônimas, adicionando uma camada extra de privacidade às transações financeiras.
Grupos de hackers – Os hackers costumam usar a dark web para se comunicar, comprar ou vender seus serviços.
Golpes – Sites clonados e falsos mercados da darknet são comuns na deep web. Mesmo com VPNs e Tor ativos, ainda é possível tirar proveito.
Bens inúteis – Você quer comprar cenouras de um estranho anônimo? Que tal pretzels recém-assados? Todos os tipos de vendedores estranhos e incomuns se estabeleceram na dark web. Se você estiver disposto a arriscar, pode acabar com algo único.
Quebra-cabeças e ARGs – Um número surpreendente de jogos de realidade alternativa hospeda fragmentos de seus quebra-cabeças na dark web para evitar que internautas aleatórios encontrem respostas. Também adiciona um nível de sigilo e mistério ao jogo.
Comunidades sociais – As pessoas se reúnem apenas para conversar na dark web também. A vantagem distinta aqui é contornar problemas de privacidade e coleta de dados de redes como Facebook e Twitter.

Como encontrar conteúdo da Dark Web

Sites na dark web foram projetados para ficar fora dos olhos do público. Em vez de usar títulos de URL identificáveis, a maioria dos sites usa uma sequência de caracteres aleatórios em um domínio .onion, tornando quase impossível adivinhar a localização de um site. Como você encontra algo que não quer ser encontrado? Ao acessar a comunidade de usuários da dark web.

A melhor maneira de obter acesso ao conteúdo da dark web é procurar sites agregados. Eles geralmente aparecem na forma de wikis ou listas HTML simples disponíveis na web de superfície. Comece com um mecanismo de pesquisa que não rastreie suas consultas ou detalhes da conta, como DuckDuckGo. O Hidden Wiki é uma boa fonte para um grande número de links da dark web, embora seu URL seja conhecido por mudar e o site nem sempre esteja disponível.

Como acessar sites .onion

Acessando a versão DuckDuckGo .onion do site, com Tor

Se você pesquisou conteúdo da dark web na última década, sem dúvida viu um sufixo de domínio estranho aparecer várias vezes. O domínio .onion designa sites anônimos e ocultos que só podem ser acessados ​​pela rede Tor. Se você digitar um endereço que usa .onion em seu navegador, não obterá nenhum resultado. No entanto, se você digitá-lo na barra de endereços do navegador Tor, verá o que o site tem a oferecer.

Se você está um pouco curioso sobre domínios .onion e quer dar uma olhada rápida em um URL que você encontrou, existem extensões gratuitas para Firefox e Chrome que aproveitam a rede Tor sem exigir o navegador Tor completo. Como um aviso, você não obterá os benefícios do anonimato do Tor ao usar essas extensões, portanto, pegue-as apenas como último recurso.

O que é a Rota da Seda?

Em 2011, um site chamado Silk Road abriu na dark web. Esse mercado anônimo era amplamente usado para comprar e vender drogas ilegais sem o risco de fornecer identidade ou credenciais. As contas do vendedor podiam ser abertas por uma pequena taxa e as transações eram realizadas em bitcoin usando uma conta de garantia automatizada para verificação.

Uma quantidade significativa de buzz foi gerada em 2013, quando o FBI fechar a Rota da Seda e apreendeu quase US$ 30 milhões em bitcoins. O fundador do site também foi identificado e formalmente acusado. Alguns meses depois, uma nova versão do Silk Road apareceu na dark web, esta administrada por um novo conjunto de administradores. Em 2014 o Silk Road 2.0 também foi apreendido e fechado. Uma terceira versão do Silk Road existe hoje, e os usuários da dark web concordam que, se for encerrado, uma quarta versão surgiria em seu lugar.

Conclusão

Se este artigo lhe ensinou alguma coisa, é que a deep e a dark web exigem cautela. Sua primeira linha de defesa é a criptografia VPN, que anonimiza sua conexão com a Internet contra a maioria das formas de vigilância e ataques cibernéticos. Recomendamos alguns provedores de VPN de primeira linha que, quando combinados com bom senso, o manterão seguro nos confins da Internet.

Qual é a sua experiência com a dark e a deep web? Você tem alguma dica para se manter seguro? Deixe-nos saber abaixo.